Companheira de Viagem

Procuro sempre aproveitar as viagens para ensinar à Laura um pouquinho sobre a geografia, a história, as comidas e o idioma do local visitado. Nem sempre tarefa fácil, pois são conhecimentos que eu mesma tenho que buscar ou atualizar. Nas últimas férias, quando foi aventurar sem mim, disse a ela simplesmente que observasse e a jovem viajante me premiou com suas próprias impressões. Orgulhou-me o fato de que ela está aprendendo a tirar lições do grande mundo, principalmente do Brasil, tão rico e tão fértil, em todos os sentidos dessas palavras. Mais ainda, ela provou que as experiências de viagens são únicas, surpreendentes e instigantes!

Desfrutem do relato abaixo, redigido por ela mesma:

Recentemente, minha mãe pediu para que eu fizesse um texto para seu blog. Como sempre viajo com ela, decidi compartilhar uma viagem na qual ela não estava presente, pelo Brasil mesmo.

A uns 450km de Campo Grande, MS, ha uma cidade chamada Alcinópolis. Sim, esse lugar que você provavelmente nem sabia que existia foi onde eu fui passar uma semana na fazenda de uma amiga. Quando eu digo fazenda, provavelmente é imaginada uma casa com um jardim e algumas galinhas, uns dois cavalos com moscas nos olhos pra montarmos e algumas vacas de onde tiramos leite para o café da manhã. No café, realmente tinha leite  que acabara de ser tirado da vaca, mas naqueles 30 pastos, não tinha só uma vaca leiteira,  tinha mais de três mil cabeças de gado! Comíamos um pouco da carne e confesso que não tomei conhecimento do que faziam com o resto…

Em cinco pastos, o gado dividia o espaço com cavalos e era lá onde podíamos andar montados em cavalos por horas se quiséssemos.

Presenciei uma festa junina, onde participei da competição de “pegar o porco”: para uma paulistana, uma tragédia cômica.

No ultimo dia, fui até uma cachoeira, igual àquelas que vemos em filmes, com uma queda d’água e um riozinho, onde nadamos quase a tarde toda mas, de verdade, eu estranhei todo esse contato com a natureza que pessoas de cidade grande não estão acostumadas.

Já na volta, atravessamos os pastos para ir em direção à Campo Grande e olhando pela janela, vi uma, duas, três… 30 bois albinos cruzando de um pasto para outro na minha frente!!

Acabei vendo coisas em uma semana, como desmame de bezerros, que achei que não veria em minha vida toda.

Laura (MS – julho 2013)

Comments
  1. 1503 dias ago
  2. 1502 dias ago

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>